De olho no mercado – 20 de março de 2020

De Olho no Mercado

Mercado Mundial – O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump anunciou nesta quinta-feira, 19, maior celeridade da agência federal para Drogas e Alimentos (FDA) na aprovação de medicamentos para tratar pacientes da Covid-19, a doença causada pelo novo corona vírus. Um dos remédios mencionados por Trump é o hidroxicloroquina, usada na prevenção e tratamento de alguns tipos de malária. Um estudo de cientistas chineses publicado no início do mês apontou que a droga mostrou ser eficaz em inibir o vírus em laboratório. Um primeiro teste em humanos, realizado na França, foi promissor: 70% dos infectados testaram negativo seis dias depois do início da medicação. “Não vai matar ninguém”, declarou Trump, para em seguida enfatizar ser o medicamento “muito poderoso” e ter apontado “resultados prévios muito encorajadores”. “Será prescrito por médicos”, ressalvou.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, abriu a porta nesta quinta-feira para uma mudança radical no relacionamento entre o governo do país e o setor privado, dizendo que apoia o Estado assumir participações em certas empresas.

Questionado se ele apoiaria um movimento do governo federal para adquirir participação acionária em algumas empresas, Trump disse: “Sim. Sim. Sim.”

Falando a jornalistas na Casa Branca, Trump acrescentou: “Ajudaremos a indústria aérea. Ajudaremos a indústria de navios de cruzeiro. Provavelmente vamos ajudar a indústria hoteleira.”

Mercado Brasileiro – O dólar registrou a maior queda diária no Brasil em 17 meses nesta quinta-feira, descendo à casa de 5,10 reais, com o Banco Central ativo em intervenções no mercado de câmbio, em um dia de trégua nas praças globais à medida que investidores analisaram ações de governos e BCs para garantir liquidez ao sistema financeiro.

O real figurou entre as moedas de melhor desempenho nesta sessão. Pela manhã, o Federal Reserve (Fed, banco central dos Estados Unidos) anunciou o estabelecimento de linhas de swap no valor de 60 bilhões de dólares com o BC brasileiro.

O Fed também informou que está disponibilizando essas linhas a BCs de outros países emergentes, num esforço para garantir liquidez num momento em que a busca por segurança tem feito o dólar disparar em todo o mundo.

O Ibovespa fechou em alta nesta quinta-feira, ajudado pelas ações da Petrobras e busca por barganhas, em uma trégua nas fortes quedas recentes, que fizeram o índice tocar mínima intradia desde julho de 2017 mais cedo.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa subiu 2,15%, a 68.331,80 pontos, após atingir 61.690,53 pontos no pior momento da sessão e 70.071,33 pontos na máxima. O volume financeiro no pregão somou 34,38 bilhões de reais.

Na semana, porém, o Ibovespa acumula perda de cerca de 17%, com o desempenho no ano negativo em mais de 40%.

Marketing Frente Corretora

Marketing Frente Corretora

Fique por dentro de todo
conteúdo e Descontos

Outros assunto relacionados

Economia global e o mercado cambial
O mercado cambial é influenciado por diversos fatores, sendo a economia global um dos principais. É importante...
De olho no mercado – 18 de fevereiro de 2022
Comece o dia bem informado!   Mercado Internacional   Minério de ferro tem maior queda semanal...
De olho no mercado – 16 de fevereiro de 2022
Comece o dia bem informado!   Mercado Internacional   Ata do Fed deve fornecer detalhes sobre...