+55 11 4200-0850

Mercado mundial          

Moderna recebe mais US$ 472 milhões de governo dos EUA para vacina contra Covid-19

A farmacêutica Moderna (NASDAQ:MRNA) informou neste domingo que recebeu mais 472 milhões da Autoridade de Pesquisa e Desenvolvimento Biomédico Avançado (BARDA) do governo dos EUA para apoiar o desenvolvimento de sua nova vacina contra o coronavírus.

 

A empresa informou que o financiamento adicional apoiará seu desenvolvimento clínico em estágio avançado, incluindo o estudo expandido da Fase 3 do candidato a vacina Moderna, que deve incluir 30 mil voluntários.

 

A farmacêutica diz ter condições de entregar de 500 milhões até 1 bilhão de doses da vacina por ano, a partir de 2021. Leia mais

 

 

Reino Unido estabelece quarentena para visitantes da Espanha

Um dos fatores que sustentam a demanda por portos-seguro é a crescente suspeita de que o mundo não está controlando a pandemia de coronavírus.

 

A China registrou seu maior número de novas infecções desde março, devido a surtos em Xinjian, no extremo oeste, até Liaoning, no nordeste. Também reforçou os bloqueios em Hong Kong, restringindo as reuniões públicas a não mais do que duas pessoas (uma ação que causará preocupação em Washington, dado o cenário político).

 

O mais preocupante nos mercados desenvolvidos, no entanto, é provavelmente a decisão do Reino Unido de impor uma quarentena de duas semanas aos viajantes que retornam da Espanha, um ponto importante das férias de verão na Europa. As regiões espanholas, incluindo a Catalunha, foram forçadas a retomar restrições ao setor de hospitalidade após uma série de evidências que mostram a impossibilidade de impor regras de distanciamento social. Leia mais

 

 

Mercado brasileiro            

Dólar tem maior queda semanal desde começo de junho, mas sob intensa volatilidade

O dólar fechou a volátil sessão desta sexta-feira em leve queda, depois de subir quase 0,8% mais cedo, com o vaivém nos preços da moeda seguindo um dia instável nos mercados internacionais, em meio a temores sobre as relações entre Estados Unidos e China.

 

O dólar à vista (BRBY) caiu 0,14%, a 5,207 reais na venda. Na semana, o dólar perdeu 3,26%, a mais forte desde a semana finda em 5 de junho. Em julho, a cotação recua 4,28%, mas ainda dispara 29,76% em 2020.

 

Na B3, o dólar futuro (DOLc1) rondava estabilidade, a 5,2140 reais, às 17h27.

 

No exterior, o dólar (=USD) bateu mínimas em quase dois anos, com avaliações de que a economia norte-americana pode perder ritmo em sua recuperação diante do aumento de casos de Covid-19 no país. Leia mais

 

 

BNDES recebe oferta da AES por fatia na AES Tietê, dizem fontes

O BNDES recebeu oferta da norte-americana AES para a compra de sua fatia na elétrica AES Tietê (SA:TIET11), que também foi alvo de interesse recente da Eneva (SA:ENEV3), e a proposta a princípio foi bem vista pelo banco estatal, disseram à Reuters duas fontes com conhecimento do assunto.

 

A Eneva informou na quinta-feira passada que fará uma oferta de em torno de 7,5 bilhões de reais em dinheiro e ações para incorporar a AES Tietê, que é controlada pela AES, desde que tenha apoio do BNDESPar, que tem uma fatia importante na empresa de energia renovável.

 

O movimento da Eneva veio após uma primeira proposta de combinação de negócios com a AES Tietê ter sido rejeitada pelo conselho de administração da elétrica em abril. Leia mais

 

 

Mercado volta a melhorar estimativa do PIB para -5,77% em 2020

O Banco Central divulgou, nesta segunda-feira (27), mais uma edição do Boletim semanal Focus, trazendo, pela quarta semana consecutiva, a estimativa de menor queda do crescimento da economia brasileira em 2020. Além disso, os economistas reduziram a expectativa para o IPCA e mantiveram para o dólar e taxa Selic. Mais uma vez, o cenário ainda mostra que a crise econômica do país por conta da pandemia da Covid-19 será bastante intensa, mantendo sinais que pode ser menos pior do que esperada anteriormente. Leia mais

 

Entre em nosso canal de informação no Telegram

 

pt_BR
en_US pt_BR