O que dominou o noticiário foram as já famosas negociações sino-americanas, o possível impeachment de Trump e, por aqui, a prorrogação da votação da reforma da Previdência (a previsão é que seja concluída até o dia 10 de outubro).

E hoje, antes do feriado de uma semana, a China divulgou bons dados de atividade (produção industrial) e os mercados estão pegando carona: as bolsas europeias estão subindo (modestamente), as asiáticas fecharam sem direção única e os futuros de NY apontam pra cima (mas nada demasiado).

Na agenda teremos o Indicador de Incerteza da Economia e o da confiança Empresarial pela FGV. Lá fora sairá o ISM de Chicago e a Sondagem Industrial pelo Fed de Dallas. Já para a  semana sairão índices de atividade e emprego (Markit na Europa, Japão e EUA, ADP e Payroll nos EUA), e por aqui teremos a inflação pela Fipe (IPC), produção industrial (IBGE) e dados da balança comercial.

Válido para todo o mês de outubro, o Bacen anunciou que continuará realizando três operações de câmbio diárias (venda à vista, venda de contratos de swap cambial reverso e venda de contratos de swap cambial tradicional) no montante de até USD 525 milhões. O objetivo será rolar o vencimento de swaps de dezembro (num total de USD 11,5 bilhões).

Para conhecimento: nosso nível de reservas está em USD 377 bilhões.

Hoje é o último dia do mês  (de olho na PTAX) e do terceiro trimestre: o mercado segue cheio de dúvidas sobre o último trimestre e de como fechará o ano. O Boletim Focus segue ajustando a taxa do câmbio: R$ 4,00 (final 2019).

As moedas EM perdem um pouco de valor frente ao dólar neste momento (o dólar sobe), à exceção da lira turca.

pt_BR
en_US pt_BR