Telegram: Acesse aqui para receber o De olho no mercado

 

 

Confira as notícias:

 

ONU diz que precisa de U$665 milhões para evitar novas epidemias de sarampo e pólio

 

Os transtornos causados pela pandemia de Covid-19 nas campanhas de imunização contra o sarampo e a poliomielite deixaram milhões de crianças vulneráveis ao risco de doenças mortais e debilitantes, alertaram agências da Organização das Nações Unidas (ONU) nesta sexta-feira.

 

Em um pedido de financiamento urgente para evitar epidemias das doenças contagiosas, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e a Organização Mundial da Saúde (OMS) disseram que 665 milhões de dólares são necessários para tratar de “disparidades de imunidade perigosas” em países pobres e de renda média. Leia maisv

 

 

 

Caos em contagem de votos nos EUA reflete despreparo de estados

 

Muito do atraso na contagem de votos que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, aproveitou para questionar o resultado das eleições poderia ter sido evitado se mais estados tivessem processado as cédulas enviadas antes de 3 de novembro, como foi o caso da Flórida, um estado-chave, e de outros lugares.

 

Seria “uma reforma fácil, óbvia e apartidária”, disse Michael Morley, especialista em direito eleitoral Universidade Estadual da Flórida. “Teríamos resultados muito antes dessas jurisdições e muito menos chance de mudanças pós-eleição no resultado aparente.” Leia mais

 

 

 

Produção industrial da Alemanha sobe menos que o esperado em setembro por coronavírus

 

A produção industrial alemã subiu menos do que o esperado em setembro uma vez que a crise de coronavírus segurou a atividade, mostraram dados nesta sexta-feira, sugerindo que a maior economia da Europa pode não ter força suficiente para evitar um mergulho duplo.

 

A produção industrial aumentou 1,6% no mês, segundo dados da Agência Federal de Estatísticas. Pesquisa da Reuters projetava aumento de 2,7%. Leia mais

 

 

Biden passa a ter pequena vantagem na Geórgia e se aproxima da Casa Branca

 

O candidato democrata à Presidência dos Estados Unidos, Joe Biden, passou a ter uma pequena vantagem sobre o presidente republicano Donald Trump na apuração dos votos da eleição presidencial dos EUA no Estado da Geórgia pela primeira vez na manhã desta sexta-feira, colocando a Casa Branca ao seu alcance, enquanto outros Estados indecisos mantêm a apuração.

 

Biden tem 253 votos contra 214 no Colégio Eleitoral que decide o vencedor da eleição, segundo a maioria das principais emissoras de TV. Se vencer a Geórgia e consequentemente conquistar os 16 votos do Estado no Colégio Eleitoral, o ex-vice-presidente ficará a um voto no colegiado de chegar aos 270 necessários para vencer a disputa. Leia mais

 

 

 

BC da China diz que não vai se precipitar com mudanças na política monetária

 

O banco central da China vai avaliar mudanças na política monetária conforme a economia se recupera, mas não fará movimentos precipitados e qualquer mudança será baseada em avaliações econômicas precisas, disse nesta sexta-feira um vice-presidente do Banco do Povo da China.

 

Liu Guoqiang afirmou que a recuperação econômica da China está sólida devido ao efetivo controle do coronavírus pelo país e medidas para sustentar o crescimento. Leia mais

 

 

 

Bolsas da Ásia fecham majoritariamente em alta, com foco na eleição dos EUA

 

As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em alta nesta sexta-feira, 6, com investidores atentos à apuração dos votos da eleição presidencial dos EUA, que mantém o democrata Joe Biden na liderança pela conquista da Casa Branca.

 

Em Tóquio, o índice acionário japonês Nikkei subiu 0,91%, a 24.325,23 pontos, atingindo o maior patamar desde novembro de 1991, graças ao bom desempenho de ações dos setores financeiro e siderúrgico. Já o sul-coreano Kospi teve modesto ganho de 0,11% em Seul, a 2.416,50 pontos, mas garantiu o quinto pregão consecutivo de valorização, enquanto o Hang Seng registrou alta marginal de 0,07% em Hong Kong, a 25.712,97 pontos, e o Taiex subiu 0,42% em Taiwan, a 12.973,53 pontos. Leia mais

 

 

 

Índice de blue-chips da China tem melhor semana em três meses com eleição nos EUA no foco

 

O índice de blue-chips da China recuperou as perdas anteriores e terminou estável nesta sexta-feira, registrando a melhor semana em três meses, uma vez que as crescentes perspectivas de uma presidência de Joe Biden nos Estados Unidos levantam as esperanças de tensões menores entre Washington e Pequim.

 

O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, teve variação positiva de 0,01%, enquanto o índice de Xangai teve perda de 0,24%. Leia mais

 

 

 

Mercado Interno

 

Dólar recua pelo 3° pregão consecutivo com vantagem de Biden e caminha para perda semanal

 

O dólar caminhava para fechar a semana em forte queda contra o real, cedendo terreno pelo terceiro dia consecutivo nesta sexta-feira em meio à fraqueza global da divisa norte-americana, uma vez que o democrata Joe Biden se aproximava de conquistar os votos necessários para assumir a liderança da Casa Branca.

 

Às 9:12, o dólar recuava 0,16%, a 5,5369 reais na venda, enquanto o dólar futuro de maior liquidez subia 0,18%, a 5,542 reais. Leia mais

 

 

 

Ibovespa Futuros cai, em linha com o exterior, à espera de resultado de eleição

 

O Ibovespa Futuros começa o dia em baixa nesta sexta-feira, seguindo a queda dos mercados internacionais após noite foi de tensão nos EUA com a expectativa do resultado da eleição.

 

Além da demora nos resultados, os ataques de Trump ao sistema eleitoral, com acusações de corrupção, fraude e ameaças de contestação dos resultados, preocupam o mercado. Com a virada em alguns estados, Biden parece estar cada vez mais próximo da vitória. Ademais, os mercados usam esta sexta-feira para realizar os ganhos da semana. Leia mais

 

 

 

Brasil publica norma facilitando importação de soja e milho transgênicos dos EUA

 

O governo brasileiro publicou uma instrução normativa conferindo segurança jurídica para importações de soja e milho transgênicos dos Estados Unidos, em um momento em que o Brasil lida com baixos estoques e preços recordes desses produtos.

 

A instrução normativa, segundo a assessoria de imprensa do Ministério da Agricultura, reconhece a equivalência de eventos geneticamente modificados entre Brasil e EUA. Leia mais

 

 

 

Inflação acelera a 0,86% em outubro e é a maior para o mês desde 2002

 

O IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), a inflação oficial no país, acelerou para 0,86 em outubro, após fechar em 0,64% em setembro. A taxa registrada é a maior para um mês de setembro desde 2002, quando o indicador foi de 1,31%.

 

A inflação foi impulsionada pela alta de preços dos alimentos e dos transportes, com destaque para as passagens aéreas (alta de 39,83%). Leia mais

 

 

 

Matérias-primas brutas pesam e IGP-DI tem alta de 3,68% em outubro, diz FGV

 

Os preços das matérias-primas brutas pressionaram em outubro e o Índice Geral de Preços-Disponibilidade Interna (IGP-DI) teve alta de 3,68%, depois de subir 3,30% em setembro, de acordo com os dados divulgados nesta sexta-feira pela Fundação Getulio Vargas (FGV).

 

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA-DI), que responde por 60% do indicador, acelerou a alta a 4,86% no mês, depois de subir 4,38% em setembro. Leia mais

 

 

 

en_US